Wolf Hoffmann, do Accept, exclui autobiografia: “Não me divirto em bisbilhotar o passado”

Em uma entrevista recente com Matt Coe do Dead Rhetoric, o guitarrista do Accept, Wolf Hoffmann, falou sobre a saída do baixista e co-compositor Peter Baltes em novembro de 2018. Ele foi substituído por Martin Motnik.

A formação do Accept também foi expandida com a adição de um terceiro guitarrista, Philip Shouse, que originalmente substituiu Uwe Lulis durante a turnê “Symphonic Terror” de 2019, antes de ser convidado a se juntar à banda permanentemente.

“Fiquei triste mais do que tudo”, disse Wolf”. Fiquei um pouco desolado, para ser sincero. Não fiquei muito surpreso quando aconteceu; fiquei mais surpreso como aconteceu. Achei que íamos ter uma grande reunião e conversar sobre as coisas, convencê-lo a ficar. Poderíamos dizer que ele realmente não estava mais nisso, seu coração e alma; ele não estava feliz. Não é uma boa situação quando você está em uma banda onde alguém não está feliz. Eu não sei o que estava acontecendo, mas no final, ele meio que puxou a tomada, sem nos dar a chance de ter aquela conversa. Já faz quase dois anos, nós temos um ótimo cara novo na banda [Motnik], e o trem continua rolando. O show continua”.

Hoffmann foi então questionado se ele consideraria escrever uma autobiografia para detalhar sua carreira no Accept, que começou em 1976. “[Eu] não, uma resposta curta a essa pergunta”, disse ele. “Vou lhe dizer por quê: não me divirto em bisbilhotar o passado. É doloroso para mim até mesmo falar sobre os álbuns anteriores dos anos 70, 80 e 90. Isso me forçou a reviver esses momentos. Muitas coisas misturadas acontecem em uma carreira, algumas delas boas, outras não tão boas. Voltar atrás nunca é divertido para mim. Deixe o passado ser passado e vamos seguir em frente com o futuro. Eu escrevi a música ‘The Best Is Yet To Come’ por esse motivo, é a minha filosofia de vida. Não gosto de questionar e reviver esses velhos momentos, todo esse tipo de coisa. Não acho isso agradável”.

LEIA MAIS  Lasting Maze lança versões lockdown sessions de "Kosmos" e "Destiny"

O novo álbum de estúdio do Accept, “Too Mean To Die”, será lançado em 15 de janeiro pela Nuclear Blast. O trabalho foi gravado em Nashville, Tennessee, com o produtor britânico Andy Sneap (Judas Priest, Megadeth), que é responsável pelo som de estúdio do Accept desde 2010.

FONTE: https://www.blabbermouth.net/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários