WHITESNAKE & JUDAS PRIEST – Citibank Hall, RJ (11/09/2011)

WHITESNAKE

Seis anos depois de se apresentarem juntos no Rio, o Whitesnake e o Judas Priest voltaram aos palcos cariocas para alegria dos fãs, que estavam eufóricos. O Whitesnake foi a primeira banda a entrar em ação e fez as honras ao abrir o show para o Judas. Três anos após se apresentarem na cidade, ainda empolgaram o público.

Abriram o show com Best Years e Give me All Your Love. Já no primeiro bloco levaram Love Ain’t No Stranger e Is This Love, clássicos eternos da banda, que mesclou canções antigas e recentes, principalmente de seu último álbum Forevermore. Além disso, o público pôde conferir a nova formação da banda que agora é composta por Reb Beach e Doug Aldrich nas guitarras, Brian Tichy na bateria,Michael Devin no baixo e o líder e vocalista da banda, David Coverdale.

O show teve 1h20 de duração e foi relativamente curto, mas empolgou a plateia, principalmente nos solos dos integrantes que aconteciam entre uma canção e outra.

Além dos clássicos e da faixa título, o repertório contou com músicas como: Steal Your Heart, Love Will Set You Free. Here I Go Again e Still Of The Night.

Set List:

1- Best Years
2- Give Me All Your Love
3- Love Ain’t No Stranger
4- Is This Love
5- Steal Your Heart Away
6- Forevermore
7- Duelo de guitarra
8- Love Will Set You Free
9- Solo de bateria
10- Here I Go Again
11- Still Of The Night
12- Soldier of Fortune
13- Burn/Stormbringer

Texto: Lívia Bueno
Fotos: Paulo Cassio – Universo do Rock

JUDAS PRIEST

O longo show do Judas Priest levou a loucura os presentes que compareceram no último domingo (11) no Citibank Hall. Com o mesmo fôlego da última vez que estiveram aqui no Rio os integrantes não pararam de tocar um só segundo os maiores clássicos da banda. O vocalista Rob Halford impressionou o público mantendo os mesmos agudos e a mesma disposição desde sua visita ao país antes dessa.

A aclamada Epitaph Tour é a despedida dos veteranos do Heavy Metal dos palcos para as grandes turnês mundiais. E para compensar a falta que irão fazer nada melhor do que um setlist de primeira linha. Os efeitos especiais também não ficaram de fora. Muito fogo, fumaça e correntes espalhadas pelo palco deram o tom e a nítida impressão de que a platéia estava literalmente no inferno. As trocas de jaquetas de Rob viraram uma marca à parte. De cada duas ou três músicas lá ia ele trocar o seu figurino que era coberto com muito couro, taxinhas e recheado de acessório bem ao estilo metal de ser.

E para finalizar aquele que foi considerado pelo público o melhor concerto de metal, eis que o cantor adentra o palco com a sua motocicleta e coloca um ponto final no show com Breaking The Law, Painkiller, Living After Midnight entre outras músicas. Pois é, o show parecia não ter fim com dois bis dignos de Judas Priest.

Para quem não foi o que resta agora são apenas as lembranças da última passagem deles em terras brasileiras, por que por aqui eles não passam mais.

Texto: Milena Calado
Fotos: Paulo Cassio – Universo do Rock

DEIXE SEU COMENTÁRIO: