Quem realmente inventou o Corpse Paint?

No episódio 16 da série de vídeos em andamento “50 Anos de Heavy Metal” da Loudwire, explorou-se quem realmente inventou a pintura de cadáver.

Embora sinônimo da segunda onda do black metal que surgiu principalmente na Noruega, o conceito de pintura de rosto nos limites do rock e do metal dificilmente foi inovador, tornando difícil definir exatamente quem deve receber crédito por essa estética sempre popular.

O próprio termo “Corpse Paint” [pintura de cadáver] evoca um pouco de mistério e provou ser especialmente confuso para quem não conhece o black metal. Ninguém estava pintando corpos – mas o cantor falecido do Mayhem, Per Ynge Ohlin, mais conhecido por seu apelido “Dead”, estava de fato se pintando para fazer parecer que ele era um corpo morto.

Como o nome artístico sugeria, o cantor, que morreu de suicídio depois de dar um tiro na cabeça após um ato de automutilação, projetava a imagem da morte. Então, o que torna o design de maquiagem de Dead tão diferente dos que vieram antes dele, como Arthur Brown, Alice Cooper, KISS, King Diamond, Celtic Frost e outros? Essa seria a motivação e a intenção por trás do rosto pintado.

LEIA MAIS  A bateria de Alex Van Halen tocada no palco de 1980 pode ser sua por US$275.000

A pintura facial completa já havia sido usada várias vezes antes do black metal norueguês cooptá-la para seus próprios fins, que, combinados com pseudônimos, completaram um ato de transformação em um subgênero intenso, profundamente entrelaçado com sistemas de crenças e filosofias pessoais. Normalmente, a maquiagem era um elemento do teatro – um elemento para melhorar visualmente o show.

Isso nos leva de volta à pergunta inicial, que respondemos com a ajuda de Necrobutcher do Mayhem, da lenda imortal Abbath, de Kirk Windstein de Down e Crowbar, bem como do autor e jornalista Jon Wiederhorn.

FONTE: https://loudwire.com/

DEIXE SEU COMENTÁRIO: