Ozzy Osbourne: Preocupei-me mais com a morte quando era mais jovem

2019 foi um ano muito difícil para Ozzy Osbourne, que sofria de pneumonia, depois sofreu uma queda que desalojou hastes de metal em seu corpo após o acidente de quadriciclo de 2003 que o deixou em agonia. Além disso, o cantor soube no ano passado que ele tem a doença de Parkinson, que ele divulgou recentemente aos fãs. Falando com Kerrang!, Osbourne compartilhou seus pensamentos sobre sua própria mortalidade, revelando que era mais uma preocupação quando era mais jovem.

“Eu penso em quando chegará a minha hora?”, pergunta Osbourne. “Eu penso sobre isso; Eu não me preocupo com isso. Não estarei aqui por mais 15 anos ou o que for, não por muito tempo, mas não me detenho. Isso vai acontecer com todos nós”.

Ele acrescentou: “Estou feliz agora? Não. Eu não tenho minha saúde. Aquilo me tirou tudo, cara, mas ainda estou aqui. Na verdade, eu me preocupava mais com a [morte] quando era mais jovem do que agora. Eu apenas tento aproveitar as coisas o máximo possível, mesmo que às vezes seja difícil pra caralho”.

Falando no tapete vermelho do Grammy no fim de semana passado, Osbourne declarou: “Este ano passado foi um inferno para mim”, disse ele. “Fiz uma cirurgia no pescoço, anunciei ao mundo que tenho Parkinson – foi um ano rock n’ roll para mim”.

LEIA MAIS  Backdrop Falls lança documentário sobre bastidores de “There’s No Such Place As Home"

O roqueiro está ansioso para compensar as datas que perdeu em 2020, mas admitiu durante o bate-papo que iria realizar esses shows “se eu estiver bem o suficiente”. Ele acrescentou: “Eu tenho trabalhado para fazer fisioterapia todos os dias. Estou fazendo o melhor que posso”.

Osbourne esteve bem o suficiente para gravar, trabalhando com o produtor do Post Malone, Andrew Watt, o guitarrista Duff McKagan e o baterista Chad Smith em um novo disco chamado Ordinary Man. Ozzy creditou o processo de criação do álbum por acelerar sua recuperação.

“Se você me visse no começo do ano passado, pensaria que eu estava fodido”, disse ele a Kerrang. “Mas eu honestamente acho que fazer este álbum é o melhor remédio que eu poderia ter tomado. Eu estava fazendo algo, algo que eu gosto de fazer. Eu gostaria de poder fazer mais, mas me senti ótimo”.

FONTE: https://loudwire.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários