MÓVEIS COLONIAIS DE ACAJÚ – Circo Voador, RJ (05/08/2010)

Em uma noite gélida na Lapa (14°), o Circo Voador recebeu a banda brasiliense Móveis Coloniais de Acajú, com abertura da desconhecida e não informada Sobrado 112. As duas bandas, são muito influenciadas pelo ska, a tal Sobrado 112, um pouco menos pois, fazia uma mistura remetendo de Novos Baianos a até a fase inicial dos Los Hermanos.

O show de abertura empolgou na sua parte ska mais acelerada, onde qualquer um se empolgaria. Mas foi desnecessário um set de quase 50 minutos para um publico médio, já ávido para ver o Móveis.

Foi curioso observar o quanto de universitários habitava na platéia, dando fortes indícios de que a internet é uma realidade que já substitui os jabaculês das rádios que pelo menos no Rio de Janeiro não são a realidade de qualquer cena musical que role hoje.

Também foi curioso ver tantas pessoas já por volta de meia-noite, os aguardando como se fossem uma banda “mainstream”. O início do set foi arrasador com o Circo Voador pulando e fervendo como vi em poucos shows, mas o que principalmente me chamou atenção foi que uma banda que tem base na internet (O último álbum “C_mpl_t_” foi disponibilizado gratuitamente no site da banda) e em teoria, novamente, não toca em rádios, tinha um público extremamente fiel e sabendo todas as letras e cantando com uma vontade “hermânica” digamos assim comparando aos fiéis seguidores da extinta banda carioca.

O vocalista André Gonzales se destaca pela ótima voz, pela absurda presença de palco, e pelo total comando da platéia. Os outros 8 instrumentistas se destacam corrrendo e pulando no palco e por muitas vezes no público, que a essa altura já lotava o Circo (Cerca de 1 Mil pessoas).

No meio do show, na música “Copacabana” a banda desce do palco para abrir uma roda que se inicia como uma “quase” polca, e acaba em um vigoroso ska, com a própria banda “pogando”.

Logo após isso uma convidada que absolutamente ninguém estava esperando, Mallu Magalhães, sim vocês leram certo, ela mesma. Para tocar uma composição própria (“Shine Yellow” do 2° disco da cantora), uma versão de “Tiro Ao Álvaro” de Adoniran Barbosa que faria 100 anos naquele dia e “Aluga-Se (Vende-Se)” do Móveis.

O fato ridículo foi a vaia gratuita para a cantora, apenas pelo fato da mesma ser namorada de Marcelo Camelo e de uma cena diferente do Móveis. Foi uma ducha de água fria em um Circo Voador que fervia, após esse fato o show engrenou até o fim.

No Bis, novamente um equivoco, uma musica relativamente lenta, com repetição da já vaiada Mallu Magalhães, e terminar com a tradicional “Se Essa Rua Fosse Minha”. Uma banda com skas vigorosos como “Swing Hum e Meio” ou “SeriaORolex?” tem mais a oferecer que uma versão de música que todos já ouviram.

A conclusão que fica é que o Móveis Coloniais de Acajú já tem um público cativo, tem um projeto de show excelente, com distribuição de bexigas antes do grupo adentrar no palco, mas se equivoca na escolha do set, sendo que fica claro que eles ainda são pequenos para serem “mainstream”, e muito grandes para serem uma mera banda independente iniciante. 

Set List :

Café Com Leite
Cego
Perca Peso
A Do Piano
Menina Moça
Descomplica
Sem Palavras
Cão Guia
Copacabana
Shine Yellow (Com Mallú Magalhães)
Tiro ao Álvaro (Com Mallú Magalhães) (Adoniran Barbosa)
Aluga-Se (Vende-Se) (Com Mallú Magalhães)
Lista De Casamento
O Tempo
Indiferença

Bis :

Adeus (Com Mallú Magalhães)
Se Essa Rua Fosse Minha (Com Mallú Magalhães)

Texto: Rafael Moura
Fotos: Beatriz Lima e Rafael Moura

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários