Matt Heafy sobre o Trivium: “Nenhuma banda gostava de nós”

Está bem documentado que o Trivium enfrentou uma reação considerável após o avanço em 2005, com o vocalista Matt Heafy explicando que a imprensa britânica em particular exagerou tanto a banda no seu ciclo de ‘Ascendency’ que eles foram odiados por muitos de seus colegas (de fato, até a Kerrang! elogiou os floridianos como “a banda de metal mais quente do século” em uma capa de revista na época).

E em uma nova conversa com Robb Flynn, do Machine Head, no podcast No Fuckin’ Regrets do vocalista, Matt detalha como o Trivium se tornou uma banda de imprensa no Reino Unido pela “única vez e lugar na história da banda”, com essa situação única levando a “todas as bandas do mundo” a pensar “danem-se essas crianças arrogantes”.

“Assim que voltamos aos Estados Unidos após a turnê no Reino Unido, de repente, todas as minhas bandas favoritas com as quais fizemos turnê nos trataram como lixo, sendo ríspidas”, lembra ele (via ThePRP).

“Lembro-me do Ozzfest, algumas pessoas da equipe estavam tentando nos cortar com seus carrinhos de golfe e atirar poeira na nossa cara – pequenas coisas assim. Ou falando besteira sobre nós. Um dos meus cantores favoritos de outra banda, lembro-me de uma resenha ao vivo que ele estava falando – e imprimi isso – ‘Tire essa camisa do Trivium da minha cara, pegue uma camisa de verdade'”.

Depois de suportar a reação, Matt explica como as coisas pioraram ainda mais no The Crusade de 2006, quando a imprensa virou para a banda e começou a “rasgá-la”, deixando a Trivium sem “aliados”. “Nós nos tornamos aquela banda – nenhuma banda gostava de nós”, diz ele. “Quero dizer, tínhamos alguns aliados, tínhamos você [Robb Flynn], tínhamos Machine Head, tínhamos… quero dizer, em 2005, tínhamos vocês e foi isso, mas éramos caras legais (risos). E eu não entendi. Lembro que até os caras da banda me diziam: ‘Eu passei por muita merda para trazer sua banda até aqui’. Apenas coisas chocantes. Ficar intimidado por minhas bandas favoritas, e é algo sobre o qual nunca conversamos, mas nos lembramos disso”.

LEIA MAIS  Adam Levine, do Maroon 5, diz o que realmente pensa sobre o Grammy Awards

Matt continua: “Foi péssimo. O que nunca gostaríamos de fazer, mas tínhamos algumas formações com pessoas questionáveis ​​que talvez tenham sido desrespeitosas com outros membros da banda ou pessoas da equipe, e tínhamos pessoas da equipe que descobrimos mais tarde que também eram ruins. Então, nós tínhamos uma péssima reputação, tipo, ‘esses caras eram idiotas. Eles são seres humanos terríveis, eles são péssimos. Eles são metidos, são arrogantes”.

Ele observa que a reputação da banda de ser “realmente muito legal” acabou surgindo no In Waves de 2011, observando que agora “a era da intimidação” felizmente desapareceu completamente. “Agora você só vê alguns idiotas, mas nada sério”, diz Matt. “Então, espero que nenhuma banda jovem tenha que passar pelo que passamos, mas isso nos fez quem somos também. Isso nos fortaleceu, com certeza, e nos mostrou quem são nossos verdadeiros amigos”.

FONTE: https://www.kerrang.com/

DEIXE SEU COMENTÁRIO: