MACHINE GUN KELLY – Mainstream Sellout

“Saia de cena, você está estragando tudo!”, canta Machine Gun Kelly na faixa-título de Mainstream Sellout.

MGK – nome verdadeiro Colson Baker – sabe que você provavelmente o odeia.

Ele também sabe que, desde que se voltou para o pop-punk com o álbum anterior, Tickets To My Downfall, partes da comunidade do rock o viram como um pária.

No Mainstream Sellout, ele está se divertindo com seu status de bicho-papão do rock. Mas enquanto Tickets To My Downfall era um pastiche mais autoconsciente e otimista da era de ouro do pop-punk, este novo álbum é um assunto mais sombrio e angustiado. É menos divertido – algo que se reflete na experiência do ouvinte.

A influência de Travis Barker nos procedimentos é mais uma vez clara desde o início, já que algumas batidas clássicas do blink-182 caracterizam a faixa de abertura Born With Horns. Talvez, enquanto isso, seja o rock de rádio funcional que funcione bem o suficiente, mas mesmo um convidado de Oli Sykes do Bring Me The Horizon não é suficiente para elevá-lo ao nível de Tickets To My Downfall no seu melhor.

O espírito divertido do último álbum de Machine Gun Kelly está presente no muito difamado single Emo Girl, uma faixa que, musicalmente, é simples, mas eficaz, mas com letra maluca (‘I fell in love with an emo girl / All I want is an emo girl’) – autoconsciente ou não – são bastante chocantes. 5150 é melhor, uma jam pop-punk que é um exemplo do flerte com o rock de MGK em sua forma mais eficaz.

Os detratores de Machine Gun Kelly provavelmente farão você acreditar que o Mainstream Sellout é terrível. Não é, mas o fogo não está queimando mais tão brilhante quanto antes. Há alguma diversão aqui, mas no final das contas, este é o registro mais fraco da era do rock do MGK até agora.

AUTOR: Jake Richardson
FONTE: https://www.kerrang.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários