Leandro Sant’Ana questiona o que é o brasileiro com músicas e textos

BRAZIL? [subst. masculino] extermínio deliberado é o título do primeiro álbum solo de Leandro Sant’Ana, conhecido músico de Santo André, com passagem por bandas como Leeds e War Industries Inc.

O material é um lançamento da Abraxas Records no streaming e também está no Youtube. Ouça nas plataformas digitais aqui.

Neste registro de duas músicas – Vertigem e Humano, Leandro Sant’Ana experimenta com ruídos, sonoras de telejornais, dark ambient, synths, linhas de contrabaixo e outros elementos para expurgar o sentimento acerca do momento brasileiro atual – pandemia descontrolada, conluio do governo com o neofascismo e o neoliberalismo pungente que massacra as parcelas mais pobres da sociedade.

“É um material urgente, necessário para furar a bolha e expor a construção do que nos fez brasileiros até aqui. Abandonei de forma consciente as regras técnicas, teóricas e harmônicas para propor ideias e conceitos de vanguarda”, afirma Sant’Ana.

A composição, produção, edição, mixagem e masterização, além de todo o conceito artístico do álbum é assinado por Leandro Sant’Ana. O único instrumento utilizado nas gravações foi um contrabaixo elétrico, além de efeitos e ambiências.

“Busquei explorar ao máximo as possibilidades sonoras do formidável instrumento que é o baixo. Afinações distintas, uso de arco e objetos para produção de som e também alguns efeitos básicos”, conta o músico.
Arte e poluição

A arte da capa é a foto do céu noturno de Santo André e retrata, através da poluição provocada pela presença de um polo petroquímico que altera a cor das nuvens, a linha tênue que margeia nossas escolhas enquanto sociedade.

Fanzine Brasiliana

Junto ao disco, Sant’Ana lançou um fanzine para complementar a ideia. É o Brasiliana. Música e letras se complementam, caminham na mesma direção quanto ao pensamento ‘o que somos, nós brasileiros?’.

LEIA MAIS  Bruce Dickinson trabalhará no seu tão esperado novo álbum solo no final deste ano

Durante o processo de composição, conta o baixista, manteve conversas com o Tiago Silva, autor de ‘Brasiliana’. “Ambos compartilhamos a indignação que víamos, não só no governo e nos que o apoiam, mas também em toda a parcela da população que se dizia oposição, mas parecia satisfeita em assistir lives, fazer caridade para inflar o ego e dar uma escapadinha aos finais de semana para ir a praia, afinal, ‘vida que segue’ ou ‘tenho que cuidar da minha saúde mental’. A sociedade, em partes, está perdendo a empatia”, desfere Sant’Ana.

O texto não busca um revisionismo histórico, apenas aponta sobre os pilares da construção da nossa sociedade brasileira, quais nossos heróis, quem escreveu a história, usurpada por uma elite mesquinha, como bem descrito pelo professor Jessé de Souza, uma “elite do atraso”.

“A obra toda, que também conta a participação de grandes fotógrafos da região, pede para olharmos no espelho a olhos nus, e irmos até as últimas consequências quanto às verdades que construímos até aqui, como sociedade”, ele finaliza. Quer receber uma versão digital de Brasiliana? Solicite no e-mail [email protected]

FONTE: Tedesco Mídia

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários