Kerry King do Slayer diz que o estilo de Dave Mustaine é o que deu forma ao Metallica

Dave Mustaine pode ter tido um mandato de curta duração no Metallica antes de formar o Megadeth, mas Kerry King do Slayer argumentou que o estilo de Mustaine é o que ajudou a formar o Metallica em seus primeiros anos.

A primeira vez que King viu o Metallica tocar ao vivo foi no Woodstock Theatre em Anaheim, Califórnia, e Mustaine era o guitarrista.

“Eu gostei. Eu gosto de speed metal ou thrash metal – que ainda não tinham esse nome – que é o que eles eram para mim”, lembrou o guitarrista ao Metal Hammer. “Eu gostei do que eles estavam fazendo e já estava no Venom. Sempre fui um grande fã do Venom e acho que uma mistura entre Venom, Judas Priest e Metallica tornou o Slayer o que o Slayer é”.

King fundou o Slayer com Jeff Hanneman em 1981, mas ele também tocou um breve período no Megadeth com Mustaine três anos depois. Ele lembrou que Mustaine pode ter nutrido algum ressentimento em relação ao Metallica na época, que lançou seu primeiro álbum Kill ‘Em All em ’83.

“Eu admirei Mustaine desde que ele estava no Metallica. Eu estava no meio da multidão com Jeff, na verdade, dizendo, ‘Olha aquele cara! Ele está explodindo lá!’ Ele tem um grande estilo e no começo ajudou o Metallica a se tornar o que o Metallica é. E deixe-me dizer uma coisa – até hoje, ele é um grande guitarrista”, explicou King.

O guitarrista fez apenas cinco shows com o Megadeth, e Mustaine queria que ele continuasse na banda. “Mas eu não tinha nenhum motivo para ficar por perto porque eu tinha o Slayer. Lembro-me de ter uma conversa com ele e dizer tipo, ‘Sim, mas temos todas essas coisas obscuras’, e Mustaine dizendo algo como, ‘Bem, nós temos essa música, é bem satânica’, e eu estava tipo, ‘no final do dia, cara, não é sobre isso. Vim tocar com você. Acho que foi espetacularmente bem, mas é hora de para eu voltar para a minha banda’”.

LEIA MAIS  Hate Spectrum revela lançamento e capa do single “Take off the Blindfolds”

King atribui o sucesso do Metallica ao seu estilo melódico, que ele se refere como “a música do homem comum”, porque era mais digerível para muitos ouvintes do que o material do Slayer. “Posso não ter ficado super feliz com [The Black Album], mas nunca odiei como muitas pessoas odiavam. Até hoje, gosto muito desse álbum. Acho que é o Metallica, mas não acho que é Metallica trash”, disse ele. “Você pode ouvir de onde vêm todas as influências, de todas as suas coisas mais antigas. Eles apenas desaceleraram e tornaram superpesado. Eles o tornaram super cativante.”

FONTE: https://loudwire.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários