Jacoby Shaddix, do PAPA ROACH, comemora 8 anos de sobriedade

Jacoby Shaddix, do Papa Roach, ultrapassou um marco significativo em sua vida, mas é algo que não tem nada a ver com um recorde nas paradas. O cantor comemorou recentemente oito anos de sobriedade, saindo para a cidade com amigos e desfrutando de um “mocktail” [coquetel não-alcoólico].

Postando o vídeo da ocasião, Shaddix e seu companheiro de banda Tony Palermo chegaram ao “menor bar do mundo” enquanto saíam em turnê, fazendo com que o barman servisse um coquetel falso.

“Para a felicidade e a saúde”, brindou Shaddix, acrescentando: “Sem álcool há oito anos e vou celebrar com um coquetel falso”. O barman revelou que a bebida inclui limão, xarope de baunilha e refrigerante de toranja rosa. Depois disso, um pequeno bolo com velas foi levado a Shaddix para soprar e marcar o marco.

No ano passado, Shaddix disse a Kerrang que descobrir sua fé era um grande passo para alcançar e manter sua sobriedade. “Foi fundamental para mim. Eu sigo um homem chamado Jesus e acho ele incrível”, ele explica. “Infelizmente, existem muitos cristãos terríveis por aí, mas, ao viver em um relacionamento com meu poder superior, sinto que clico no poder supremo da porra do universo. Não se preocupe, eu certamente tive minhas lutas e fracassos em minha vida espiritual, mas minha caminhada com Deus foi uma que evoluiu ao longo dos anos”.

LEIA MAIS  Lemori se destaca como uma das grandes bandas do hardcore nordestino

O vocalista acrescentou que ele vem de uma família afetada pelo álcool, mas tomou medidas para interromper o ciclo. “A luta com o álcool está na minha família há gerações, destruindo vidas e relacionamentos continuamente”, disse o cantor. “Tentei por muito tempo largar a garrafa. Fui expulso de casa e parecia que minha esposa e eu íamos nos separar. Chegou um momento em que percebi que bastava”.

Ele acrescentou: “Isso afetou dramaticamente minha vida de muitas maneiras positivas, dando-me a oportunidade de ser um bom marido e pai, além de ser um líder foda de banda. Eu assisto todos os documentários do VH1 sobre músicos morrendo e tendo amigos morrendo dessa merda, tenho sorte de ter saído vivo. Não posso dizer que fui perfeito – escorreguei e fumei maconha algumas vezes, mas não tomei álcool, cocaína, pílulas ou qualquer outra coisa”.

FONTE: https://loudwire.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários