GODSMACK – The Oracle, 2010

Sully Erna (vocal), Tony Rombola (guitarra), Robbie Merrill (baixo) e Shannon Larkin (bateria) estão de volta, no 6º álbum de estúdio do Godsmack. E começo esse texto com uma frase da minha resenha anterior: 2010 está sendo um ano de porradas sonoras – com uma diferença, esse aqui é brutal! E divertido, rs!

The Oracle não deixa nada a dever a todos seus antecessores, e mostra como a banda continua afiada e entrosada, e isso fica bem claro no (excelente) single e faixa de abertura “Cryin’ like a bitch”. Por outro lado, não há grandes diferenciais entre as faixas: todas são pesadas, todas têm uma instrumentação maneira, e em grande parte delas o vocal de Erna predomina – um dos melhores vocalistas que eu já ouvi, fica a dica para quem não conhece: lembra muito Serj Tankian, do SOTD, só que menos agudo.

LEIA MAIS  MASTODON - Hushed And Grim

Esse padrão fica bem nítido na trica “Saints and Sinners”, “War and Peace” e “Love-Hate-Sex-Pain” (destaque aqui também para a introdução), que só é quebrado (mesmo assim de leve) por “What if”, meio híbrida, meio épica, meio musical… enfim, o ‘musicão’ do álbum.

A 2ª metade de The Oracle continua mais do mesmo em “Devil’s Swing” e “Forever Shamed”. Em compensação, “Good Day To Die” e “Shadow of a Soul” empolgam muito (nessa última enfatizo novamente o vocal de Erna). O álbum fecha em grande estilo: a faixa título é particamente uma jam, com uma enorme evolução. Para quem curte o gênero alternativo e new metal, é audição obrigatória.

A banda segue em divulgação, e Sully Erna lançará agora em meados de Setembro seu 1º álbum solo, entitulado Avalon, cujo single de divulgação será “Sinner’s Prayer”.

Autor: Victor “Montanha” Vieira

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários