Entrevista com Jesse Damon, da SILENT RAGE

Eu estive em contato com Jesse Damon, vocalista, guitarrista e lider do Silent Rage por algum tempo, mesmo antes da banda ser anunciada como uma das atrações da edição desse ano do festival Firefest. Ele sempre foi muito legal e me disse pelo facebook que nós certamente nos encontraríamos, principalmente por eu ser um grande fã da banda, e ele certamente me daria uma entrevista quando nós finalmente nos encontrássemos em Nottingham. Eu fiquei feliz e surpreso que, no primeiro dia do festival, um amigo meu, brasileiro, que tinha ido para o festival comigo, me encontrou dentro da Rock City e me perguntou “Onde você estava?” e eu respondi “por ai…”. Ele veio novamente e disse “você não vai acreditar, Jesse Damon e EJ Curse do Silent Rage estão aqui vendo os shows, acabei de encontra-los! Eu disse que era do Brasil e então Jesse disse – sério? Um amigo meu do Brasil também está vindo para os shows!”. Quando meu amigo me disse que o tal amigo brasileiro a quem Jesse se referiu era eu, eu mal podia acreditar! Eu conheci Jesse e EJ pessoalmente naquele dia, e ele me disse para encontra-lo no dia seguinte, para que pudéssemos bater um papo, e para que ele me desse essa entrevista incrível! Só tive a oportunidade de conhecer Mark Hawkins e Rodney Pino no dia em que a entrevista foi feita, e eles também foram ótimos!!!!!

Rockzone: Aqui estou em Nottingham, cobrindo o Firesfest, Segundo dia, e este é Jesse Damon, do Silent Rage. O que você pode dizer sobre o início de sua carreira?

Jesse: O início da minha carreira… passou tão rápido, mas tem muitos momentos memoráveis! No início, durante a criação do nosso primeiro disco, “Shattered Hearts”, com Paul Sabu, era um período de aprendizado, nós éramos uma banda nova… trabalhar no nosso primeiro disco foi muito bom, nós aprendemos muito com o nosso produtor, e aprendemos até agora, sobre truques e técnicas de gravação, e como cantar apropriadamente, a compor, então ele é como um mentor para mim e para o resto da banda. Nós já tínhamos tocado por muito tempo naquela época, durante toda a década de oitenta, e quando finalmente tivemos a chance de gravar o nosso primeiro CD, o nível de energia era alto e nós sentíamos algo especial, que iria acontecer, nos sentíamos que estávamos prestes a ter uma carreira de verdade, e depois que o disco saiu, Gene Simmons nos contatou, o que foi outro grande passo em nossa carreira, e nós estávamos procurando empresários na época, e alguém da Companhia do KISS nos contatou, nos viu, nos assistiu ao vivo, e nos recomendou para Gene, então Gene nos contatou depois disso, e o resto é história ( ele disse “the rest is KISStory”). Era uma pessoa muito importante envolvida conosco, e ele foi o nosso empresário, e nos contratou em seu selo, distribuiu nosso disco pela RCA, nos colocou na estrada com o Black Sabbath, ele fez muitas coisas, ele foi fundamental para que nossa carreira decolasse. É engraçado, aquele homem, legal como é, profissional como é, também tem algum poder. Aonde quer que ele vá, ele pode simplesmente entrar, subir até à cobertura, abrir a porta e falar com a pessoa mais importante do lugar. Você sabe, ele faz as coisas acontecerem, então isso foi muito importante também. Então, nesse ponto, íamos começar a gravar o disco “Don’t Touch Me There”, que é provavelmente um dos melhores momentos da minha vida, o tempo em que gravamos aquele álbum, tudo se tornou muito mais divertido…

Rockzone: É o seu álbum favorito?

Jesse: Eu diria que sim, pelo menos até o momento! (risos) pois foi uma grande fase para que crescêssemos, e também onde estávamos em 1989, ele nos fez chamar a atenção e nos arremessou para o campo de competição com todas as outras bandas, então foi outra experiência de aprendizado e também, ao mesmo tempo, um momento de crescimento, e nós estávamos também finalmente nos sentindo uma banda mais forte. E sempre, ao longo de tudo, nos divertindo muito! Nós sabíamos, isso era o que nós queríamos fazer, e nós estávamos fazendo, então estávamos muito felizes. Nós tivemos todo o apoio das nossas famílias, amigos, e muitos de nossos amigos de longa data desde o início da banda ainda estavam envolvidos conosco naquele tempo, foi uma boa época.

Rockzone: O que você pode dizer sobre a saida de Brian James Fox e sobre o novo baterista Rodney Pino?

Jesse: Brian é um ótimo baterista e quando ele entrou nabanda, nós já o conhecíamos, e já tínhamos visto ele tocar. Ele é de Milwaukee, Wisconsin, nos Estados Unidos, e morou lá até seus vinte e poucos anos, e aí mudou para Los Angeles, para tentar ter sucesso como um baterista profissional. Depois de estar em Los Angeles por alguns anos, e nós, você sabe, nos conhecendo e o vendo em outras bandas, como o White Tiger com Mark St. John, e algumas outras, nós gostávamos dele. E quando a oportunidade de assinar com a Simmons Records veio, nós procurávamos um novo baterista, e ele foi simplesmente a nossa primeira escolha quando essa porta se abriu. Então deu certo para nós, e quando ele entrou na banda, ele foi como a peça que nos movia, por causa de seu nível profissional de tocar, e então estávamos muito felizes que a peça final estava no lugar. Quando ele decidiu partir já era 2001, ele estava casado e tinha acabado de ter seu primeiro filho. Ele também teve a oportunidade de comandar o negócio de seu pai, então ele decidiu sair. Nós o apoiamos, embora nós quiséssemos muito que ele permanecesse conosco, nós o entendemos. Ninguém deve ser obrigado a fazer nada, nunca. Nós sempre nos apoiamos como amigos. Nós precisamos então encontrar um novo baterista, e Rodney foi recomendado. Nós testamos alguns outros bateristas, mas depois de tocar com Rodney pela primeira vez, nós sabíamos que ele tinha o que era preciso, e que era provavelmente o cara que se encaixaria na banda. Mas o que fizemos foi o seguinte: nós tínhamos um show na Inglaterra, em um festival, e essa seria a prova de fogo de Rodney. Depois do show, e depois de termos nos divertido tanto na viagem, chegamos para ele e dissemos, “teremos muito mais shows, talvez você queira ficar e ser o nosso baterista!”. Então, deu certo, e ele está conosco desde então.

LEIA MAIS  Virtvs investe em riffs pesados e letras ácidas contra o sistema do atual governo

Rockzone: OK, novas músicas a caminho?

Jesse: Sim! Muitas músicas novas! Mark e eu estamos compondo, EJ está compondo, nós estamos loucos para começar a gravá-las! Não tem nada certo ou planejado no momento para o lançamento de um disco novo, mas há conversas sobre fazer um, ou pelo menos começar a gravar um.

Rockzone: Então, quais são as suas expectativas para o show de hoje? (Mark Hawkins aparece nesse momento).

Jesse: As expectativas são altas! Nós estamos loucos para chegar lá e tocar um set cheio de músicas fortes, que estamos tocando e ensaiando, nos preparando….teremos algumas surpresas no set – músicas antigas, novas, e como eu disse, surpresas! Então será divertido. Nunca é tempo demais, gostaríamos de tocar para sempre, uma vez que entremos no palco! Mas daremos o nosso melhor para arrebentar, e fazer um grande show!

Rockzone: Algumas palavras finais para os leitores?

Jesse: Na verdade, vou deixar para o Mark, então se você tem alguma outra pergunta….

Rockzone: OK, algumas palavras finais para os leitores, os fãs do Silent Rage?

Mark: Fiquem de olho! Temos coisas novas a caminho, e nós devemos ter um relançamento com algumas faixas bônus… estamos pegando fogo!

Rockzone: OK, muito obrigado, pessoal!

Mark and Jesse: De nada!

– Logo depois da entrevista, Jesse teve que ir, e EJ Curse apareceu, e ele gentilmente pediu que ele e Mark dissessem mais algumas coisas para a minha entrevista! Demais!

Rockzone: Aqui estou com EJ Curse e Mark Hawkins do Silent Rage novamente! Eu gostaria de saber sobre suas expectativas do show de hoje…

EJ: Apenas espero fazer um bom show! (risos). Parece que o público aqui é muito bom! É bom tocar para fãs, Que gostam de verdade do gênero melodic rock… nós não temos muitos festivais assim nos Estados Unidos, esse tipo de festival com bandas dos anos oitenta, para esse gênero musical, então, é muito legal! Nós esperamos arrebentar!

Rockzone para Mark: E você?

Mark: Eu tenho a mesma opinião! Sim, eu acredito que será realmente ótimo, o público parece realmente gostar do estilo!

Rockzone: E vocês têm algumas palavras para os fãs do Silent Rage que estão lendo isso?

EJ: Nós vamos relançar o disco “Don’t Touch Me There”, ele será remasterizado e terá algumas faixas bônus, e sairá no ano que vem. Também há planos de lançar ou um EP, ou pelo menos alguns singles no ano que vem. Então, o Silent Rage ainda está vivo, eu diria isso!

Rockzone para Mark: Você tem algo a dizer?

Mark: Acho que já está tudo aí!!!!

Rockzone: Muito obrigado!!!!

EJ: Obrigado por nos entrevistar, let’s rock!

By Criss Sexx

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários