Entrevista com a SOUNDS OF RESTORATION

1.Olá banda! Como nasceu essa idéia de misturar influencias, sentimentos e experimentos dentro de uma banda e há quanto tempo já estão na estrada?

SOR: Depois de um tempo acumulando riffs e boas idéias, ficou claro que era possível montar um repertório diferente do que eu (Luís Martino) havia tocado até hoje com outras bandas. Resolvi cair dentro dessa atmosfera mais introspectiva e experimental do Sounds of Restoration e terminar as músicas, juntando coisas novas e também fragmentos que tinha desde 2006, por exemplo.

Tudo isso viu a luz do dia em 2010, quando comecei a mostrar o material e enfim lançar um EP, o “Through the Ashes of Remembrance”, em outubro. Considero esse o início real da banda.

2. Pelo que li sobre o álbum “Through the Ashes of Remembrance”, ele é quase todo instrumental. Para uma banda brasileira isso é bem arriscado, como está sendo a aceitação do público nos shows e até com o próprio disco?

SOR: A proposta, considerando ou não as músicas instrumentais, já é um pouco diferente do que eu costumo ver por aí, considerando território nacional. Eu sabia que estava pondo na praça músicas que tendiam para influências totalmente desconhecidas no Brasil.

Meu medo era, pegando o seu exemplo das músicas instrumentais, começar pondo na mesa um material massante demais, reflexivo demais. Pensei na possibilidade de por mais vocais, mas isso seria forçar muito a barra e fugir da visão que eu tinha. Então arrisquei lançar assim mesmo e admito que tenho recebido um feedback que tem impressionado até a mim.

3. Atualmente, o cenário independente está crescendo numa velocidade enorme, principalmente, com a ajuda da internet em divulgar o trabalho dessas bandas. Na opinião de vocês, com essa ajuda virtual ainda há necessidade de outros tipos de mídia, como por exemplo, TV e rádio?

SOR: O nosso primeiro EP saiu de forma 100% virtual, e assim também funciona todo nosso esquema de divulgação. Sem essa possibilidade era muito provável que o SOR nunca teria visto a luz do dia.

Com a internet podemos, não só oferecer nosso trabalho de forma 100% grátis, mas também garantir que a divulgação seja mais direcionada, por exemplo. Creio que são vantagens, além da autonomia envolvida, que TV e rádio nunca ofereceram.

4. Quando não estão ensaiando ou fazendo shows o que costumam ouvir em casa para relaxar, e quais são as bandas que inspiraram vocês para fazer o som do Sounds of Restoration?

SOR: As influências pro Sounds of Restoration e as nossas influências pessoais não são tão diferentes, se considerarmos as vertentes mais pesadas. Underoath, Nine Inch Nails e Killswitch Engage são pontos comuns entre todos nós, eu diria. Mas o SOR funciona mais a base de coisas tipo Alice in Chains, Opeth e Cult of Luna.

5. Vocês gravaram cinco músicas para o “Through the Ashes of Remembrance”, nos conte como foi o processo de gravação e quem foram os principais compositores?

SOR: O processo de gravação foi o mais espontâneo possível. O EP nasceu da idéia de fazer uma demo, só para saber como algumas músicas soariam gravadas. Material cuja finalidade seria mera auto avaliação.
Depois de algumas sessões em cima da primeira música eu resolvi começar uma segunda. E depois veio a terceira. E logo eu tinha oito músicas. Foi aí que soube que era o momento de seguir em frente, selecionar as músicas mais promissoras e transformar tudo aquilo num CD.

Eu compus as músicas sozinho, movido pela curiosidade de descobrir como de fato seria dar conta da produção de um projeto destes sem influência externa. Mas apesar da liberdade eu fiz questão de pedir ajuda na finalização, e foi aí que entraram Jay Zuca (banda ENNE, vocais em “Repentance”) e André Luiz (guturais), ambos responsáveis pela execução das vozes no EP.

6. Vocês ganharam a enquete de melhor banda do mês de dezembro do ano passado. Isso repercutiu em algo para a carreira da banda, vocês curtiram isso?

SOR: Vencer a enquete foi a primeira boa coisa a acontecer com a gente depois que lançamos o EP. Estávamos em época de lançamento, dedicando tempo na frente do computador para cuidar do máximo de divulgação que fosse possível. Graças a muito “vota em mim por favor” foi possível fechar o ano com chave de ouro.

7. Muito obrigada pela entrevista. Aqui vocês podem deixar um recado para os leitores do site e para os fãs do Sounds of Restoration.

SOR: Gostaria de agradecer o espaço a todos os que colaboram com o Rockzone. O site já faz parte da nossa história e somos gratos por tudo.

A todos que quiserem saber mais sobre o projeto e ouvir o EP na íntegra é só acessar http://www.myspace.com/soundsOfRestoration.

By Milena Calado

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários