Entrevista com a MEZBETH

1. Fale um pouco pra gente de onde veio a idéia de montar uma banda. Como tudo começou?

Mezbeth: Na verdade, esta idéia de formar a banda com esta proposta de sonoridade foi em 2005 com o guitarrista e vocalista Léo, que tinha a idéia de fazer um som que fosse pesado com guitarras distorcidas e ao mesmo tempo com melodias marcantes com certo feeling muito característico do grunge mais com uma pegada metal. A banda fez algumas apresentações e acabou. Depois disso, o Léo montou a banda Oméra de 2008 a 2011 onde tocou ao lado do guitarrista Rafael e os dois tiveram a idéia de retomar ao projeto do Mezbeth com o fim do Oméra. Então, convidaram o baixista Dw e o batera K .

2. Vocês já gravaram algum disco e se não o fizeram tem pretensões?

Mezbeth: Nós gravamos nossa primeira demo com quatro músicas, e temos planos de gravar brevemente nosso primeiro cd mesmo com todas as dificuldades de ser independente.

3. Vocês são de Minas Gerais, certo? Como anda o cenário independente rock and roll?

MezbethSim. Minas sempre teve tradição de ser um celeiro do rock nacional. A cena mineira independente atual tem várias bandas que depois de muita trabalho já conseguem viver só de música, feito raro no meio independente Têm várias casas que só tocam bandas independentes, mas mesmo assim falta muita coisa, principalmente por parte do governo e iniciativa privada com projetos mais transparentes e menos burocráticos na área musical .

4. Mezbeth me fez lembra MacBeth de William Shakespeare. O nome tem alguma relação com a tragédia shakesperiana?

Mezbeth: O nome não, mas a temática das músicas do Mezbeth tem muitas semelhanças por tratarem de assuntos como traição, rancor, medo e conflitos existenciais. Assuntos muito decorrentes em MacBeth .

5. Muitos estão dizendo que o rock acabou, porém as bandas independentes estão mostrando que não é bem assim. Qual é a opinião de vocês em relação a isso?

Mezbeth: Apesar das dificuldades a cena rock independente tem conseguido nos últimos anos, através da internet ganhar muita força na divulgação de novas bandas. Com isso, as pessoas não precisam mais ouvir o que ditam as grandes gravadoras. Algumas bandas têm uma boa estrada sendo totalmente independentes lançando cd’s, gravando clips e fazendo shows. Achamos que o rock independente adaptou-se a esta nova realidade e por mais que tenham alguns aproveitadores, o rock vai continuar sendo eterno.

6. E para 2011 existe algum projeto novo, quais são os planos do Mezbeth?

Mezbeth: Tocar muito em vários eventos. Esperamos neste ano ter mais oportunidades de fazer o que nós mais gostamos que é o contato com o público. E em seguida, correr atrás de recursos para o lançamento de nosso cd.

7. Muito obrigada pela entrevista e queríamos que deixassem um recado para os leitores do RockZone e para os fãs de vocês.

Mezbeth: Gostaríamos de agradecer e parabenizar muito o RockZone pelo o espaço e a força que vocês dão a cena independente. O Mezbeth espera que todos curtam o trabalho, pois foi feito com muita dificuldade e honestidade e que as pessoas possam se identificar com nossas músicas, pois isto é o melhor sinal que estamos indo para o rumo certo. Obrigado a todos!

By Milena Calado

DEIXE SEU COMENTÁRIO: