Entrevista com a ALGOZ

1 – Parabéns pela vitória do destaque no mês de janeiro! Como foi iniciar o ano recebendo esta noticia?

Algoz: Como estávamos acompanhando a votação não ficamos surpresos, o que não nos impediu de ficarmos muito felizes principalmente ao percebermos ao boa receptividade das pessoas que acompanham nosso trabalho.

2 – Quando surgiu a vontade de formar uma banda?

Algoz: Percebemos que era possível expressar nossas ideias, opiniões e a forma como enxergamos o mundo através da música, e a partir daí como cada um já tocava algum instrumento resolveu-se montar uma banda. Outra coisa que ajudou foi a influência musical das bandas que tocavam no cenário underground do Rio de Janeiro, quando éramos mais novos frequentávamos bastante o famoso Garage na Rua Ceará, e esse contato foi aumentando mais a vontade de tocar, começamos fazendo cover de Pearl Jam e Alice in Chains até amadurecermos e iniciarmos nosso trabalho próprio.

3 – Quais são as principais referências musicais de cada integrante?

Algoz: Essa é uma pergunta difícil pois há uma variedade de bandas que nos influênciam…rsss. Temos muita referência do cenário pós-grunge e new metal que apareceu no fim da década de 90 e início dos anos 2000. No entanto isso não limita nossa preferência musical. Diogo (guitarra) tem como referência musical bandas como Black Sabbath, Janis Joplin, Metallica, Soundgarden, Korn, Incubus entre outras; Márcio (bateria) compartilha da mesma seleção que Diogo e acrescenta The Doors, The Who, Led Zeppelin, Pearl Jam, Placebo, Mutantes, Cássia Eller; Já as preferências de Jorge (baixo) são Type O Negative, Mudvayne, Slipknot, Limp Bizkit e Fates Warning e Elza (vocal),dentre as várias bandas que ouve elege The Smiths, Radiohead, Deftones, Rammstein e Alice in Chais.

4 – De quem foi a idéia do nome “Algoz” e qual é o real significado para a banda?

Algoz: Um dia Elza (vocal), foi mostrar para Diogo (guitarra) um de seus escritos e quando ele viu a palavra Algoz parou um tempo refletindo sobre seu significado (carrasco) e começou a ligar o significado as ideias da banda de questionamento do atual modelo societário. Quando pensamos em carrasco sempre associamos a algo ruim, mas depende do ponto de vista, na sociedade desumana e desigual em que vivemos ela é nosso algoz, portanto achamos que o ideial seria nos tornamos o algoz desse modelo de sociedade, com nossas críticas e indo contra ele.

LEIA MAIS  Bizibeize comenta sobre sua nova fase e da confecção do seu mais novo single

5 – Quais são os planos para este 2012 que se inicia?

Algoz: Nosso planos para 2012 são: terminar as edições de nossas músicas para lançar o EP e fazer gravações de outros videoclipes, começando agora em janeiro as filmagens do segundo. Além dos shows nos festivais que estamos nos inscrevendo.

6 – Pessoal, este espaço é todo de vocês para deixarem o recado que quiserem!

Algoz: Seria muito interessante que todos pudessem desenvolver as suas potencialidades, que houvesse espaço para isso. Que a música assim como toda e qualquer manifestação artística não fosse usada de maneira tão fetichizada a ponto de privilegiar tão poucos. Vivemos em uma época em que individualidade é estimulada acima de qualquer coisa e isso é muito ruim. Nós da banda Algoz tentamos fazer um trabalho que vai para além do trabalho de uma banda, questionando e expondo coisas que são pouco discutidas abertamente. Isso acaba nos dando ânimo para continuar com tanto trabalho e tão pouca grana. Gostaríamos também de parabenizar a radio pela iniciativa de abrir espaço para bandas novas mostrarem seus trabalhos, pois ao mesmo tempo que divulgamos o nosso podemos conhecer outras bandas que estão buscando espaço no cenário rock.

By Fabiana Souza

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários