DEAD FISH – Circo Voador, RJ (11/11/2011)

11/11/11. A data cabalística que só acontece a cada 100 anos se encaixou perfeitamente com o show de ontem no Circo Voador, onde o Dead Fish gravou DVD de comemoração de 20 anos da banda capixaba. A ansiedade estava no rosto de cada um ali na casa de shows da Lapa, querendo logo que tudo começasse, afinal, muitos acompanham a banda desde seus primórdios.

Antes do DF entrar, duas bandas de destaque da cena hardcore brasileira subiram ao palco do Circo. Primeiro foi o Plastic Fire, banda carioca que com apenas 5 anos de estrada já arrematou fãs em todo o país e começa a despontar como um dos principais grupos da atualidade.

Formada por Reynaldo (vocal), Daniel (guitarra), Marcelo (baixo) e Felipe (bateria), o Plastic Fire tocou músicas dos albuns “E.xistencia P.arcial” e “A Última Cidade Livre”. O público vibrou principalmente com as músicas “A Última Cidade Livre”, “O Preço de ser Impessoal” e “Negativo”.

Logo depois do Plastic Fire, a banda Zander assumiu o palco do Circo Voador. Com uma formação que inclui membros de fizeram ou ainda fazem parte de bandas como Noção do Nada, Heffer e o próprio Dead Fish, o Zander mostrou muito hardcore, empolgando o público que cantava a toda suas músicas.

Com o fim dos dois shows, o público começou a tomar cada espaço que ainda existia para não perder nada da principal atração da noite, que entrou no palco por volta de uma da manhã, para delírio de todos. O set list desse show especial foi selecionado pelos próprios fãs no site da banda, ou seja, o que estava sendo tocado ali era o que realmente todos queriam ouvir.

Mesmo com câmeras e gruas espalhadas pelo Circo Voador, nada disso impediu que as famosas rodinhas se formassem e homens e mulheres dessem seus moshs de cima do palco, já que show do Dead Fish sem mosh não é show do Dead Fish.

Logo no início, Rodrigo e cia colocaram o ritmo frenético já conhecido da banda, com “Asfalto”, “Zero e Um”, “Old Boy” e “Molotov”. Depois vieram diversos outros sucessos do grupo como “Bem-vindo ao Clube”, “Um Homem Só”, “Não”, “Contra Todos”, “Subprodutos”, “Mulheres Negras”, e “Sonho Médio”.

Além das músicas da carreira da banda, o Dead Fish apresentou também “Tijolo”, música inédita do grupo.

O show também teve participações especiais dos vocalistas do Zander e do Plastic Fire. Durante a noite alguns momentos se destacaram, como quando uma menina subiu no palco, ficou atrás de Rodrigo e deu uma pegada no… “peixe” do vocalista da banda capixaba, para surpresa dele que demorou a entender e acreditar no que tinha acontecido, o que causou gargalhadas em todo mundo.

Depois foi a vez de um fã sem noção agarrar Rodrigo como uma fã tiete do Justin Bieber, até que os dois caíram no chão. Em dia de gravação de DVD um sujeito desses podia segurar um pouco a sua onda né? Mas o mais impressionante foi protagonizado pela mesma moça que apertou o bilau do vocal do DF. Ela deu um super mosh pulando da arquibancada (!!!!!). Ninguém acreditou mas ela saiu sã e salva.

Acho que o único ponto negativo da noite ficou por conta da repetição de seis músicas depois do final do show, por ter dado algum problema na gravação, talvez no áudio, com algum cabo desconectado pelas pessoas que subiram no palco para pular. Mesmo sendo necessário, o público ficou meio sem vontade e pouco participativo. Mas apesar disso, a noite de 11/11/11 ficará marcado na história dessa banda com 20 anos de história e que com certeza ainda tem muito fôlego para pelo menos mais 20 anos de carreira.
Set List:

Asfalto
Zero e Um
Old Boy
Molotov
Iceberg
Venceremos
Tango
Paz Verde
Tijolo
Sonho Médio
Obrigação
Bem-Vindo ao Clube
Piada Liberal
Me Ensina
Mulheres Negras
Contra Todos
Cidadão
Subprodutos
Noite
Tapamaru
Autonomia
Urgência
Viver
Didático
Proprietários do Terceiro Mundo
Você
Um Homem Só
Canção para Amigos
Eleito por Ninguém
Queda Livre
Afasia
Não
Tão Iguais

Texto: Rodrigo Miguez
Fotos: Daniel Croce
guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários