Dan & The Gummy Hunters traz à cena roteiro nostálgico do punk rock dos anos 90

Dan & The Gummy Hunters acaba de lançar o clipe de “Let it go”, a faixa faz parte do último disco lançado intitulado “Memory Lane”.

“Memory Lane” conta com dez faixas sendo nove em inglês e uma em português. Todas as músicas e letras são de autoria do Daniel Sant’ Ana, exceto a letra de “Orgulho e arrogância” Escrita por Rafael Vasconcelos e o Davi Pacote, que assinam juntos com o Daniel a composição de “We Try”.

O nome do disco traz composições que falam sobre os últimos 10 anos da vida de Dan, como seu cotidiano, relacionamentos de casais, família, amigos, pais e filhos.

Bastante influenciado pelo punk californiano dos anos 90, o álbum é um prato cheio para quem gosta do estilo e bandas como Descendents, No use for a name, All, Millencolin, Social Distortion. Bastante presente na cena punk hc em Recife e NE, Dan Sant’ana, resolveu voltar a compor com o surgimento da pandemia de covid-19 e com o resultado do lockdown que vivemos por diversos meses no Brasil.

O músico apresenta em seu projeto a empolgação da música itinerante, junto de um roteiro nostálgico do punk rock californiano dos anos 90. O disco “Memory Lane” é um prato cheio pra quem ama o bom e velho punk com pitadas de hardcore, e com certeza já entra pra cena alternativa brasileira como um dos melhores lançamentos do gênero. Veja a entrevista cedida com Dan Sant’ana sobre sua trajetória musical, influências musicais, processo de composição e outras curiosidades. Confira a entrevista.

De onde surgiu o nome “Dan & The Gummy Hunters”? E como a ideia da banda/projeto solo itinerante surgiu?

O projeto começou logo com a chegada da pandemia no Brasil, com o início da quarentena e lockdowns aleatórios, travando a área de entretenimento que é onde trabalho. Com o tempo livre em casa algo que realmente não tive pelos últimos treze anos eu voltei a tocar/compor. de início eu tentei montar uma banda para que cada integrante opinasse e colocasse a sua influência no som. mas devido a pandemia as coisas não andavam dai eu fiz toda a pre produção do disco sozinho até conhecer o Davi Pacote e dar início às gravações a distância com ele. O nome “Gummy Hunters” surgiu sem querer em uma conversa besta de amigos e a ideia de mudar os músicos é mais para viabilizar possíveis turnês fora do Brasil** .

Você lançou recentemente o disco “Memory Lane” e o clipe “Let it go”. Como foi o processo de composição e gravação dessas faixas?

Eu fiz toda a pre produção do disco em casa no meu humilde home studio. Com ajuda das bateria do logic eu gravei 16 músicas no total e o Davi Pacote e Eu selecionamos nove para o disco. A décima, em português era a única música que eu soube que entraria desde o início porque é uma parceria com meu grande amigo e ex-companheiro de banda na adolescência, o Rafael Spiga. Outras músicas foram surgindo durante a gravação com o Davi mas nem todas entraram nesse disco. A gravação foi feita a distância. Eu em Recife e o Davi em POA. Ele pegou faixa por faixa (bt, bx, gtr) das músicas que eu fiz a pre produção e reproduziu no Hill Valley Studios além de tocar a bateria em todas as músicas e mandar uns back vocals. As vozes eu gravei em casa com um Pga27 da Shure e minha Roland Rubix 24. A ideia de gravar o clipe estava muito presente nas nossas conversas mas não tínhamos ideia de cenário até que eu fui cortar o cabelo na barbearia da minha rua e o Magno que é um grande amigo deixou a gente gravar lá. 72 horas depois o clipe estava pronto.

LEIA MAIS  Os vocais melódicos e ásperos de Daniel Gadelho a frente do Rematte

O disco e clipe foram muito bem recebidos nos de sites de música especializada nacionais e internacionais. Como você vê esse feedback tão positivo do material lançado?

Ah, A gente fica feliz né. É legal saber que o pessoal está escutando a sua música. Ainda mais nesse período de isolamento social onde tudo é meio estranho. Você se conectar com pessoas através da sua música é demais.

Suas músicas demonstram muita intensidade e entrega. Existe alguma composição que seja mais especial para você?

Eu gosto de todas as músicas mas acho que “We Try and What We Can” são um pouco mais especiais por serem associadas a minha filha e minha esposa.

Quais as bandas e fontes artísticas que inspiram o som do “Dan & The Gummy Hunters”?

Punk Rock eu gosto do bom e velho Descendents, Social Distortion, Millencolin, Strung out, Face to Face… essas são as bandas que escuto toda semana a mais de vinte anos. Bandas brasileiras, o Blind Pigs e Street Bulldogs sempre foram uma influência. E fora desse mundo punk eu escuto muito José González e Ben Howard. Eles são demais!

Como você está lidando com a pandemia de covid 19? Que tipo de interação está tendo com o público nesse momento de pandemia?

Eu estou em casa respeitando as orientações dos órgãos competentes tentando sair o mínimo possível e tenho Interagindo com o publico por mensagens no instagram, facebook. é bem legal receber esse feedback do público.

Podemos esperar material inédito em breve?

Sim, vamos participar de uma live de um festival online da Argentina no fim de Fevereiro e vamos lançar mais um clipe em breve. Ambos estarão disponíveis no youtube.

Quais os planos para 2021?

Se vacinar, fazer shows e lançar mais músicas no segundo semestre.

FONTE: Collapse Agency

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários