Cradle of Filth está lançando seus próprios chás “satânicos”

Os metaleiros de Suffolk do Cradle Of Filth, lançaram dois novos chás “satânicos”.

A banda diz que surgiu com o conceito enquanto gravava seu último álbum, “tendo recebido alguns chás satânicos de bom gosto” de uma produtora chamada Pitch Black North; com o CoF acrescentando que a ideia de unir forças para esses produtos foi “seduzida por nossos crânios coletivos de que uma colaboração deveria estar em andamento”.

“Se alguma coisa que esse estranho espaço de tempo conhecido como ‘bloqueio’ nos ensinou é que literalmente tudo pode ser amenizado com uma boa xícara de chá”, acrescentam eles.

Os dois chás são para ocasiões separadas – “Um para a elevação, um para a descida” – e são baseadas nas músicas do Cradle Of Filth. Dark Blood é um “chá preto inglês” de acordo com o vocalista Dani Filth, enquanto Sweetest Maleficia contém mirtilo orgânico e baunilha. “Essas bebidas habilmente elaboradas não estão apenas cheias de sabor maléfico, mas também nadam abruptamente com bruxaria genuína, tendo sido fabricadas sob todas as estrelas certas”, escreveu o Cradle Of Filth em um comunicado.

É claro que o Cradle Of Filth chamou a atenção das pessoas com seus produtos antes – o mais memorável é a camiseta ‘Jesus é um c ** t’. Falando com Kerrang! sobre como essa frase adorável surgiu, Dani lembrou: “Estávamos preparando coisas para a Emperor tour no gramado da frente da casa da mãe do nosso gerente de gravadora. Estávamos brincando e saímos com isso, e isso nos fez rir. Lembro-me de estar deitado na grama rindo, dizendo: ‘Temos que fazer isso’.

LEIA MAIS  Kerry King diz que o Slayer parou muito cedo: "Eu odeio não tocar"

“Não era de uma perspectiva satânica, era mais uma declaração anárquica. Nós sabíamos que isso irritaria as pessoas. Eu acho que Jesus acabou de ser pego porque ele era arquetípico. Poderia ter sido Hitler, mas realmente não funciona, porque todo mundo já acha que Hitler é um idiota, por isso não é tão engraçado”.

Quando perguntado sobre a rapidez com que ela começou a causar pesar à banda, o vocalista disse: “Lembro que quando as gravamos, minha namorada – que estava na frente das originais – trabalhava para uma empresa de impressão e eles se recusaram a fazê-lo. Quando descobriram que ela imprimiu alguns pela porta dos fundos, ela teve muitos problemas. Então, encontramos um lugar em uma vila ainda menor, onde tínhamos que dar a volta na casa, pegar as camisas e dizer: ‘Nunca mais fale disso’ do cara que faz isso”.

FONTE: https://www.kerrang.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários