Bruce Dickinson gravou o novo álbum do Iron Maiden de muletas

Fãs do Iron Maiden nas Américas: vocês notaram algo… incomum sobre Bruce Dickinson no palco da última vez que a banda tocou em 2019?

Ele explicou tudo: ele estava se recuperando de um tendão de Aquiles rompido, o que significa que andar e correr normais era uma dor. Então, ele descobriu maneiras de se mover pelo palco que podem ter parecido estranhas, mas ele acha que ninguém percebeu.

Não só isso, antes de partir, ele teve que terminar seus vocais para o novo álbum da banda, Senjutsu, enquanto balançava muletas e com o pé em uma bota que restringia os movimentos.

“Eu fiz as últimas duas faixas de gravação de muletas, em uma bota – uma daquelas botas grandes que você tem que usar para imobilizar a perna”, ele disse em entrevista exclusiva da Cover Story. “Então, eu a arrebentei no final de Abril. Trinta e seis horas depois, eu já tinha costurado-a de volta. E então, 24 horas após a operação, eu estava no estúdio, cantando, com minha perna do tamanho de uma porra de um balão”.

A recuperação completa leva cerca de um ano, mas Bruce não teve muito tempo antes de ter que voltar ao palco. Então, com sua atitude sempre positiva, ele improvisou. “Foi um mês de bota. Retirei e depois tive mais duas semanas de reabilitação. Depois, tive quatro meses para tentar aprender a andar novamente antes da turnê”, diz ele. “Aquela turnê pela América e América do Sul, todos aqueles grandes shows, eu não conseguia andar direito, então eu apenas fingi. Ninguém percebeu. Eu estava correndo, mas estava correndo de forma diferente. Aprendi a me mover sem usar os músculos da panturrilha, o que é difícil, mas não conseguia fazer nada convencional. Então, eu não conseguia pular, não conseguia correr e andar rápido era um problema. Mas se você andou como um caranguejo, tudo bem!”.

LEIA MAIS  Alter Bridge entrará em estúdio em abril de 2022

Se você ainda não se “cansou” dessa obra-prima, assista o videoclipe novamente!

FONTE: https://www.kerrang.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários