Black Sabbath deu a Eddie Van Halen um aviso de “comporte-se” na turnê de 1978

O Black Sabbath temia ser ofuscado em casa por sua banda de apoio Van Halen em 1978, a tal ponto que Tony Iommi emitiu um aviso “amigável” a Eddie Van Halen dizendo a seu colega guitarrista para não desrespeitar os mais velhos.

Depois de lançar seu álbum de estreia autointitulado em fevereiro de 1978, o Van Halen empreendeu sua primeira turnê europeia em maio de 1978, juntando-se a seus companheiros de gravadora da Warners Bros., Black Sabbath, no décimo aniversário da banda de Birmingham Never Say Die! turnê, que chegou ao Reino Unido em 16 de maio, começando na Prefeitura de Sheffield.

Com o Sabbath em um estado enfraquecido devido a conflitos interpessoais e crescentes questões de abuso de substâncias, o jovem quarteto californiano efervescente roubou o show em mais de uma noite da turnê, uma situação que não escapou do baixista do Sabbath Geezer Butler e do guitarrista Tony Iommi atenção, conforme observado na biografia de Eddie Van Halen, Eruption. “O Van Halen caiu incrivelmente bem”, disse Geezer Butler ao autor (e contribuidor do Classic Rock / Metal Hammer) Paul Brannigan. “A única coisa que me irritou foi que no início da turnê eles pareciam uma banda realmente crua, mas conforme a turnê continuava, eles estavam nos roubando. Os solos de guitarra de Eddie estavam ficando mais longos, David Lee Roth copiava tudo que Ozzy faria e o baixista [Michael Anthony] até começou a usar pedal wah, numa época em que eu era o único baixista que já tinha usado pedal wah. No momento em que subimos ao palco, as pessoas estavam tipo, ‘Oh, eu já vi tudo isso’. Era como se fôssemos nosso próprio ato de tributo”.

“Eles eram todos caras muito bons”, acrescenta Butler, “então não estávamos realmente incomodados com isso, mas Tony teve que trocar algumas palavras com Eddie, de uma forma do tipo ‘comporte-se ’”. “Eu não sabia muito sobre o Van Halen”, admite o guitarrista Iommi, “mas quando os ouvi pela primeira vez foi tipo, ‘Puta merda!’. Eles eram tão enérgicos, ótimos músicos e tinham boas canções. Nós estávamos tipo, ‘Uau, caramba, esses são realmente bons!’”.

LEIA MAIS  Escute "Não temos tempo para ficar perplexos", o novo disco da banda Ultra Super

“Eles nos observavam quase todas as noites do lado do palco, ‘diz o guitarrista’ e, obviamente, eles pegavam as coisas de nós, vendo o que funcionava e o que animava a multidão. Mas foi um pouco estranho quando entramos no palco e parecia que estávamos apenas fazendo o que eles estavam fazendo. Uma noite eu disse a Eddie: ‘Ei, Eddie, você vai tocar algumas faixas do nosso novo álbum amanhã?’” [Risos].

Fã de longa data do Sabbath, que tocou músicas do Sabbath em suas bandas pré-Van Halen, Genesis (não confundir com a banda de rock progressivo inglês) e Mammoth, Eddie Van Halen ficou mortificado com a ideia de que poderia ter ofendido seus heróis, mas ele e Iommi logo se tornaram grandes amigos, como revela Eruption. “Eddie tinha obviamente ouvido outros guitarristas enquanto crescia, mas ele criou seu próprio estilo e era um guitarrista fabuloso”, Tony Iommi disse a Paul Brannigan. “Na maioria das noites, ele vinha ao meu quarto ou eu ia para o quarto dele e bebíamos um pouco de coca e conversávamos a noite toda. Ele se tornou um amigo muito bom e eu realmente o respeitava como músico. Estou muito feliz por tê-los conosco, porque isso me levou a fazer um amigo para a vida”.

FONTE: https://www.loudersound.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários