Avatar lança nova música ‘God of Sick Dreams’

Os metaleiros suecos do AVATAR lançaram uma nova música chamada “God of Sick Dreams”, o segundo single de seu oitavo álbum “Hunter Gatherer”, que será lançado em 7 de agosto via Entertainment One (eOne).

Desde o primeiro riff do explosivo single “Silence In The Age of Apes”, os ouvintes encontrarão uma versão mais sombria, futurista e inteiramente nova do AVATAR. Seu manifesto ousado, “Hunter Gatherer”, é um estudo implacável da velocidade cada vez maior de uma humanidade sem noção em um futuro incerto, aumentando o alcance das raízes escuras sempre em expansão da banda. O próximo álbum é a versão mais sombria e sinistra da banda, com estudos profundos de crueldade, tecnologia, desdém e privação.

Em 2019, o AVATAR se reuniu com o produtor Jay Ruston (STONE SOUR, SLIPKNOT, ANTHRAX) no Sphere Studios em Los Angeles, Califórnia, onde a base de cada música em “Hunter Gatherer” foi lançada com a banda se apresentando completamente, como haviam feito apenas uma vez antes, em “Hail The Apocalypse” (2014). O método antigo de tocar como uma coisa só no estúdio, mais parecido com o que eles fazem no palco, capturou a essência do AVATAR. Gravado inteiramente em fita de duas polegadas, “Hunter Gatherer” exibe tudo o que destaca o AVATAR na vasta e rica paisagem do passado e do presente do heavy metal.

LEIA MAIS  Assista ao videoclipe de Jeff Scott Soto, "Without You"

No final do ano passado, o vocalista do AVATAR, Johannes Eckerström, falou ao Loudwire sobre os temas líricos abordados no próximo álbum: “Estou tentando transmitir certas emoções que talvez eu, como letrista, talvez não estivesse à vontade no passado. Dizer que há algo errado lá é diferente de virar um dedo e apontar para si mesmo. É preciso alguma maturidade para começar a fazer isso e talvez revisitar os lugares em que eu estava no passado e lançar uma luz mais honesta sobre eles. Está repleto de coisas que eu nunca fiz antes, nunca fizemos antes e, portanto, é completamente diferente novamente”.

Ele acrescentou: “Não há brincadeira com isso, e isso nos leva de volta à realidade. Lida mais com escuridão, tristeza, desapego, alienação e a ansiedade de pensar no mundo como um todo. São todas essas coisas que não necessariamente se encaixam no ‘vamos escrever esta carta de amor para o heavy metal e compartilhar nossa piada interna que chamamos de Jonas The King”.

FONTE: https://www.blabbermouth.net/

DEIXE SEU COMENTÁRIO: