ANETTE OLZON estava ‘triste de várias maneiras’ pela separação com o NIGHTWISH

1º de Março de 2020

Anette Olzon diz que está “triste de várias maneiras” por ter saído do Nightwish, explicando que ela e seus ex-colegas de banda “tiveram uma coisa boa por muitos anos”.

Olzon entrou para o NIGHTWISH em 2007 e gravou dois álbuns de estúdio com a banda antes de ser demitida em 2012, no meio da turnê norte-americana do grupo. Ela foi substituída pela ex-vocalista do ‘After Forever’, Floor Jansen.

Em uma entrevista recente com Wayne Noon do “Rat Salad Review”, Anette refletiu sobre seu tempo no NIGHTWISH, dizendo (veja o vídeo abaixo): “Eu não quero falar sobre como tudo terminou, porque toda vez que digo algo, todo a base de fãs pula em mim, então eu tenho que ter muito cuidado com o que digo, mas fiquei triste [com a separação], porque senti que tínhamos uma coisa boa acontecendo por muitos anos antes de começar a ser um pouco difícil. E também éramos bem diferentes no modo como queríamos trabalhar; sou sueca e eles são finlandeses. Então, estou triste de várias maneiras, porque foi divertido – nos dias divertidos. Mas também estou muito feliz por não estar lá por causa da agenda de turnês”.

Ela continuou: “Foi muito estressante eu estar fora; eu quase nunca estava em casa. Fiquei seis semanas fora, depois estive em casa talvez uma ou duas semanas, apenas desfiz as malas e depois saí novamente por cinco semanas. Não é um estilo de vida que eu gostaria de continuar por mais do que isso. E, na verdade, agora sinto que tenho uma boa vida com música e um emprego normal, e posso decidir o que quero fazer e ninguém me diz o que eu devo fazer. Então, eu sou um espírito mais livre agora do que era naquela época”.

Olzon também abordou as críticas incessantes que lhe foram dirigidas por se colocar no lugar da cantora original do Nightwish Tarja Turunen, cujos vocais operísticos eram muito diferentes da abordagem mais pop de Anette.

“Você não sabe como as pessoas serão, mas, é claro, fui eu que recebi todo o ódio, e foi, é claro, muito difícil para mim lidar com essa situação”, ela admitiu. “Se eu fosse a cantora original, não teria todo esse tipo de comentários ruins no YouTube. E eles me seguem bastante. Tem sido melhor agora – as pessoas começaram a parar de dizer tantas coisas ruins. Mas, como eu disse, se eu disser alguma coisa em qualquer entrevista, eles mudam e deturpam. É meio triste não podermos ficar livres da fala, então sou um pouco cuidadosa com o que digo. Estou feliz com os anos que tivemos, e é ótimo que eles continuem fazendo o que fazem. E se estão felizes, estou feliz. E é assim que as coisas acontecem”.

LEIA MAIS  3 Doors Down anuncia a série pay-per-view "3X LIVE"

Pouco tempo depois que Olzon foi demitida do NIGHTWISH oito anos atrás, ela alegou que havia uma discussão entre ela e o NIGHTWISH quando ela pediu que uma turnê australiana fosse adiada durante a gravidez. Tuomas Holopainen sugeriu que Jansen deveria liderar a banda temporariamente, mas Olzon disse que não.

Anette explicou em uma entrevista de 2014: “Eu estaria grávida demais para ir para a Austrália, então queria adiar as datas, mas Tuomas não queria isso. As discussões sobre uma substituta surgiram e, a princípio, eu estava, tipo, ‘Sim, bem, tudo bem’. Mas quando eles mencionaram Floor, foi um “não” automático de mim. Não achei que fosse uma boa ideia, porque sabia o que iria acontecer – sabia que os fãs adorariam a Floor, porque ela é uma cantora de metal e eu sou cantora de pop e queria manter meu emprego”.

Um ano após o NIGHTWISH demitir Olzon, a banda divulgou um comunicado negando que ela foi demitida por causa de gravidez ou doença. “Descobrimos que a personalidade dela não se encaixava nessa comunidade de trabalho e era prejudicial a ela”, afirmou o grupo. O NIGHTWISH continuou dizendo que Anette estava inicialmente receptiva à ideia de contratar uma substituta temporária se não pudesse “gerenciar tudo”, mas que mais tarde “retomou sua decisão e as dificuldades realmente começaram. Medo de perder dinheiro e sua posição parecia óbvio”. A banda também insistiu que “Anette e sua companhia” recebiam “um quinto de tudo o que foi feito durante seu tempo” com o NIGHTWISH.

Desde o final de seus cinco anos no NIGHTWISH, Olzon lançou um álbum solo, “Shine”, de 2014, e formou THE DARK ELEMENT com o ex-guitarrista do SONATA ARCTICA, Jani Liimatainen. O álbum de estreia auto-intitulado do grupo foi lançado em 2017; um acompanhamento, “Songs The Night Sings”, saiu em novembro passado.

Olzon e o renomado vocalista de metal progressivo, Russell Allen (SYMPHONY X, ADRENALINE MOB), lançarão um álbum colaborativo intitulado “Worlds Apart” em 6 de março via Frontiers Music Srl. O projeto será lançado sob o apelido de ALLEN / OLZON.

FONTE: https://www.blabbermouth.net/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários