Amy Lee: “O Evanescence não está muito longe de terminar seu novo álbum”

Quando Kerrang! conversou pela última vez com Amy Lee há alguns meses, a vocalista do Evanescence revelou que o novo álbum The Bitter Truth estava aproximadamente “70%” pronto.

E parece que a banda fez mais progresso desde então, com Amy agora dizendo que o álbum “não está muito longe” de ser concluído.

Falando ao Revolver sobre a data de lançamento do LP ainda a ser revelada, Amy explica: “Eu quero viver mais o momento com nossa música, ao invés de ter todas as músicas completamente terminadas, então entrar em um estúdio e quebrar tudo de uma vez só. Decidimos fazer isso quando podíamos e realmente jogar as coisas no chão e colocá-las conforme avançávamos. Já que ainda estamos criando o final dele – e estamos chegando ao fim – até que tudo esteja completamente terminado, não quero fazer um anúncio da data de lançamento. Não estamos longe, porém”.

A cantora acrescenta que “ainda está escrevendo algumas letras”, afirmando que às vezes pode ser um “processo difícil” encontrar as palavras certas. “Eu tenho duas músicas restantes para as quais estou terminando as letras”, diz ela. “Uma vez feito isso, acho que vamos voar”.

Claro, vamos ouvir os novos vocais de Amy nas próximas horas antes da chegada de The Bitter Truth, já que ela colaborou com Bring Me The Horizon em seu novo EP Post Human: Survival Horror, que será lançado (30 de outubro).

LEIA MAIS  Iggy Pop lança videoclipe de "Do Not Go Gentle Into That Good Night"

“Eu realmente não os conheço pessoalmente, éramos apenas fãs da música um do outro, e você sabe como a música é – você sente que conhece essa pessoa porque a música vive em você”, Amy disse ao Revolver sobre como a música – que atende pelo título prolixo ‘One Day The Only Butterflies Left Will Be In Your Chest As You March Towards Your Death’ – surgiu.

“…Enquanto eu estive muito ocupada trabalhando em nosso álbum, e ficando um pouco presa em algumas das palavras, eles me enviaram esta faixa para trabalhar, e foi uma bela fuga e lançamento para mim. Parecia algo que eu não deveria fazer, como minha coisinha secreta, e realmente era muito gratificante ir e voltar, colaborar, ter todas essas conversas todos os dias com Oli [Sykes, frontman]. Foi lindo terminar algo. Foi o impulso e a inspiração para levar a música do Evanescence com uma nova satisfação e combustível, onde eu estava frustrada antes”.

FONTE: https://www.kerrang.com/

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários