3 DOORS DOWN – Time of My Life, 2011

Dois anos após o auto-entitulado 3 Doors Down (2008), a banda lança o seu sexto álbum de estúdio, Time of my life, produzido por Howard Benson. `A época de seu lançamento, o vocalista Brad Arnold disse que a banda resolveu fazer algo diferente: “este álbum mostra um crescimento de nossa parte. Tivemos sucesso no passado e estamos muitos gratos por isso, mas há sempre espaço para… passar para outro nível. E sinto que nós fizemos isso. Há muitas canções que as pessoas conseguem imediatamente identificar-se com elas. Quisemos de fato fazer o nosso melhor neste álbum e olhando para trás para a experiência no todo, acho que o conseguimos”.

E à primeira audição é isso mesmo que aparenta, um dos melhores álbuns da carreira da banda, e bem superior ao trabalho anterior. A começar pela faixa-título, que demonstra um excelente entrosamento entre Brad e o restante da banda. Mas é com “When you’re young” (primeiro single divulgado) que o Time of my life diz a que veio, excelente música, introdução, riffs, o solo de Matt Roberts (guitarra), enfim, um dos destaques do álbum. “Round and round” dá um breve derrapada, não consegue manter o nível das faixas anteriores, apesar da tentativa – sobretudo no refrão. Chegamos então à primeira balada (o forte da banda, na minha opinião) do álbum, “Heaven”. Balada meio híbrida. Lenta no começo, explosiva no refrão – em grande parte, graças à bateria de Greg Upchurch.

“Race for the sun” é mediana, assim como “Round…”. Não me animou. “Back to me” é a segunda e a melhor balada, de longe, um dos destaques do álbum, demonstrando que o forte da banda para rock ballads não enferrujou. Linda canção, grande potencial para futuro hit. Time of my life volta a ficar pesado com “Every time you go” (segundo single, e outro dos meus destaques). Introdução pesada, Brad mandando ver nos vocais, Matt também, na guitarra e no backing, e refrão explosivo. Candidata também a entrar para o hall das clássicas da banda, rs! “What’s left” eu definiria como uma faixa híbrida, assim como “Heaven”. Começa lenta, tem uma boa ascenção instrumental, fica forte no refrão, mas sem perder a calmaria, e termina com um excelente solo de guitarra. Outro grande destaque do álbum!

LEIA MAIS  HALSEY - If I Can’t Have Love, I Want Power

A última parte do álbum não me animou muito, sinceramente. “On the run” achei morna, nem o refrão teve alguma evolução. “She is love” é outra, lenta até demais, rs! Só explode no final, mas aí já é tarde. “My way” e “Believer”, por fim, voltam a empolgar. Têm peso, valem a audição. Todas as faixas foram compostas pelos próprios músicos, Brad, Matt, Greg, Todd Harrell (baixo) e Chris Henderson (guitarra). O 3 Doors Down se prepara para tocar em terras brasileiras, em Abril/2012, incluindo São Paulo e Rio de Janeiro, nas capitais.

Autor: Victor “Montanha” Vieira

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários