BAD RELIGION – The Dissent of Man, 2010

O punk californiano não morreu (só não é mais divulgado por aqui decentemente). Em comemoração aos 30 anos de carreira, o Bad Religion lançou The Dissent of Man, em Setembro/2010. É dinâmico, como todo punk rock que se preza… Mas falta alguma coisa, as faixas não têm aquele impacto que “A walk” e “American jesus” um dia tiveram…

“The day that the Earth stalled” abre o álbum. É punk total: dinâmica, direta e rápida (até demais, só 1’27”). “Only Rain” mantém o ritmo de sua anterior, e é melhor. Boa introdução, refrão legal, letra maneira (a ironia e o sarcásmo nas letras do BD continuam presentes nesse álbum). “The resist stance” é um pouco mais séria, instrumentalmente falando, inclusive. Entrou para a trilha sonora do jogo Need For Speed: Hot Pursuit. “Won’t somebody” é uma surpresa inusitada, por ser ligeiramente pop, bem diferente das anteriores. Legal! “The devil in stitches” é a melhor desse primeiro terço do álbum, junta as principais características das anteriores: é rápida na medida certa, não é muito punk, nem é híbrida/pop, & tem um solo maneiro. Um dos destaques do The Dissent of Man.

“Pride and the pallor” mantém a harmonia de sua antecessora. Faixa maneiríssima! Bem ‘para cima’ (apesar da letra a lá BD). Solo maneiro também. Outra das minhas favoritas! A partir daí, a batida punk volta a predominar. “Wrong way kids” e “Meeting of the minds” não me apresentaram grandes novidades ou evoluções. Alguma coisa em “Someone to believe” me empolgou, só não sei ao certo explicar o que, rs (o conjunto, o solo/batida do meio da faixa, sei lá). “Avalon” também continua nessa vertente punk, mas apresenta uma evolução que funciona. Faixa válida!

LEIA MAIS  MASTODON - Hushed And Grim

A partir daí o The Dissent of Man fica mais, digamos, ‘leve’. A híbrida “Cyanide” pode ser considerada a ‘balada’ do álbum, devido a sua ligeira batida pop. É outra faixa que eu destaco, assim como “Turn your back on me”. “Ad hominem”, “Where the fun is” e o fechamento “I won’t say anything” também são mornas, não chegam a acrescentar muito.

Bem, no geral, continuam sendo músicas para jovens headbanguers, depois de tanto tempo na estrada, e isso é muito válido. Por falar em estrada, o BR segue em turnê americana comemorativa pelos seus 30 anos, tendo a companhia da banda Rise Against.

Formação atual: Greg Graffin (vocal) – Brett Gurewitz, Greg Hetson & Brian Baker (guitarras) – Jay Bentley (baixo) – Brooks Schayer (bateria)

Autor: Victor “Montanha” Vieira

guest
0 Comentários
Sugestões
Veja todos os comentários